quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

'A gente fala então do que virá."



Vini,
Nem sei porque estou escrevendo esta carta. Talvez pela data de hoje (12/12/12) você me disse que era um dia importante, que isso irá acontecer novamente daqui mil anos (12/12/3012). Ainda bem que você não tem essas coisas cabalísticas que deixa um monte de gente pirada.
Eu poderia dizer que te amo, que sinto saudades e que os melhores momentos da minha vida foram ao seu lado. Poderia também dizer que te amei ainda mais no último dia que te vi. Que meu amor agregado com sentimento de saudade ainda está fresquinho dentro de mim. Que sonho com você principalmente nas noites frias. Os dias que você esteve comigo foram os mais doces e isso não é exagero.
Por um momento até acreditei que fomos feitos um para o outro. Queria estar com você agora, olhar pra você e apertar sua mão bem forte, pra ter certeza que você é mesmo real. Se fosse possível, eu reviveria tudo que passamos juntos mil vezes. Sinto sua falta mais do que possa imaginar.
Você foi uma luz na minha vida, uma paz inexplicável. Dizer adeus foi uma das coisas mais difíceis que passei ao seu lado. Seu sentimento já não é mais o mesmo. Sei que você vez ou outra se lembra de mim, mas chegará o dia que já não estarei presente em seus pensamentos da maneira que estive um dia.
Compreendi, então, que amor é sim eterno, mas também compreendi que amor é mutável... 
E quando eu olhar pra trás vou gostar de ver o passado bonito que foi eu e você. Que amor não acaba nunca, só muda o jeito de senti.

 Carinhosamente,
Clara.

#Rô Barbosa.
Título: A vida quis assim - Oswaldo Montenegro.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Tudo bem se não deu certo...




Olharam-se profunda[MENTE]
Sabiam que era hora de soltar a mão um do outro.
Ela, que sempre se sentiu confortável com seus dedos entrelaçados no dele,
Agora segue o caminho, sozinha.
Fim da estrada de tijolos amar-elos
AMAR,
ELOS, desfeitos.
Desbotados, pálidos.

Ela o observa pelo retrovisor do carro,
retrospecto.
Um profundo suspiro.
E o gosto salgado
Escorrendo pelo rosto. 

#Rô.

sábado, 24 de novembro de 2012

“Mas eis que chega a roda-viva e carrega o destino pra lá...”




Eu me sinto tão frágil.
Dói tudo aqui dentro.
Dói tanto que muitas vezes mal consigo respirar.
Às vezes me sinto como se tivesse andando em cima de uma corda bamba.
O que será que tem lá em baixo?
Quero me exercitar com poesia, de maneira que essa tristeza sai pelos poros.
Quero desentalar todo esse choro da garganta.
Quero padecer meu próprio soluço.
Estrangular a melancolia.
Quero eu mesma, afagar minha alma.
Preciso de um abraço suave.
Preciso de alguém que me faça acreditar que tudo vai ficar bem.
Será que vai demorar muito pra que tudo volte a ser como antes?
Simulo sorrisos, tem sido assim todos os dias. Um esforço que me rouba as forças.
Dentro de mim é como uma casa vazia, com as paredes desbotadas, pálidas.
Por que eu não nasci uma borboletinha amarela com bolinhas azuis?
Que o vento amacie tudo por aqui...
Que venha logo o verão.

# Rô.

*Título: Roda Viva - Chico Buarque.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

" E tudo fica sustentado pela fé..."



Dobrou os joelhos no chão, fez uma prece o mais forte que pôde, tirou seu coração da terra e o elevou aos céus com toda fé que leva na alma.  Sentiu e ouviu, o toque suave das asas dos anjos. 



#Rô.


Imagem: Arquivo pessoal.
Título: O Teatro Mágico- Eu não sei na verdade quem eu sou.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Conto de Cecília...


"Tem gente que tem cheiro de colo de Deus..."
[Ana Jácomo]


Do outro lado da linha ela ouvia a voz da senhorinha que dizia:
  Muito obrigada, minha querida. Sei que você tem pedido a Deus pela minha cura, têm dias que me sinto melhor.
Sem saber o que dizer Cecília apenas respondeu:
Imagine, dona Cora. Não tem o que agradecer. E desligou o telefone.
Naquele momento Cecília sentiu um aperto no peito que fez doer, ficou triste, pois há muito tempo ela não tinha uma conversa “direta” com Deus. Não havia pedido a Ele que curasse aquela senhora.
Dona cora era uma flor de pessoa e Cecília tinha por ela verdadeiro apreço. Cecília gostava de beijá-la, abraçar forte e fazer carinho naquele rostinho envelhecido pelo tempo.
Dona Cora estava no nobre coração daquela moça de forma imensamente afetuosa. E Cecília se sentia triste por sua amiga está tão doente, ela tentava com suas conversas aliviar a dor daquela senhora tão sozinha, tentava levar riso...
Mas não chegou a pedir que Deus curasse dona Cora e isso a deixava incomodada.
Cecília não compreendia que dona Cora sempre esteve presente em suas preces, que quando a gente pensa em outrem com carinho de verdade, quando se deseja puramente que esse alguém seja feliz é uma oração.
Quando dona Cora recebia o abraço e o riso fácil daquela moça era um pouco de paz que chegava até ela.
Todas as nossas preces chegam ao céu. 
Deus está nos gestos mais sublimes, nas atitudes mais ocultas.
Existem anjos em cada cantinho desse mundo cuidando da gente em suas orações mais "discretas", têm pessoas tão boas de coração que só em sorrir traz sossego pra alma da gente. Esse tipo gente enfeita a feição de Deus com risos.


#Rô.

Com carinho, para a minha amiga Cari, que tem cheiro de colo de Deus.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

40 coisas randômicas...


1-    Não gosto da palavra, insulina;
2-    Nem de ilusão;
3-    Gosto de trança no cabelo;
4-    A fé sustenta a gente;
5-    Acho lindo quando as pessoas seguram as mãos umas das outras;
6-    Queria um sapatinho de rubi como o da Dorothy;
7-    Tenho ciúme dos meus livros;
8-    Livros, a melhor forma de viajar;
9-    Estou sempre em busca de reconhecimento, isso não é bom;
10- Gosto de amora;
11-  Sou dramática;
12- Seria bom se colocássemos o dedo dentro da garganta e vomitássemos nossas angustias;
13-  Fico muito incomodada quando vejo alguém triste;
14-  Silêncio é bom, necessário, às vezes;
15- O previsível não me agrada;
16- Planetário;
17-  Queria morar longe da cidade;
18- É ótimo ficar sozinha em um lugarzinho bem agradável, sem ninguém pra incomodar;
19- Nem pra dizer que você está errada;
20-  Eu fico irritada com: “se eu fosse você”;
21- Tem gente que fala demais, que reclama demais;
22-  Gosto de bater papo com pessoas idosas;
23-  Brasília precisa de chuva;
24-  Tenho uma maquina de escrever;
25-  Fico com vontade de chorar por causa de coisas bobas, mas não choro, porque já tenho 30 anos;
26-  Abraço é tão bom;
27-  Amo crianças;
28- Às vezes penso que não vou ter filhos;
29-  Gosto de ser eu quem eu sou;
30- Sou muito chata algumas vezes;
31- Não quero um mundo cor de rosa, quero um mundo com todas as cores;
32- Tenho algumas responsabilidades que acho super chatas;
33- Mas tenho outras que são um máximo;
34- Tenho um lado infantil aguçado;
35-  Dificilmente me magôo com alguém, quando isso acontece é porque pisaram muito na bola;
36-  Nunca fiz amizades de um dia pro outro;
37- Isso é coisa que se conquista;
38-  É preciso ter disciplina;
39-  Gosto do som da flauta;
40- Sinto a falta de quando sentia falta que a falta que sentia só durava um dia.



# Rô.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

"Felicidade se acha é em horinhas de descuido..."


Hoje estou feliz.
Com aquele tipo de felicidade que não se explica. Ou talvez se explique, é que muitas vezes a gente fecha o coração, não dando espaço pra uma brechinha de luz entrar.
Fazia tempo que não me sentia assim, entende?
Com essa leveza no coração, com essa vontade de vida.
Com essa vontade de disseminar sorriso, colher bondade.
O mundo é bonito, queridos!
Sempre tem algo leve pra trazer risos.
Deixemos de lado o que não faz bem.
Ficar corroendo coisas desagradáveis emperra a vida. Trava sorrisos.
E travar sorrisos deve ser considerado como algo grave sujeito a sérias perdas de momentos de paz.
Felicidade é coisa que não deve ser desperdiçada, não mesmo!

Eu posso não ser capaz de falar sobre felicidade diariamente, mas hoje eu quero escrever em estado de felicidade. Nem que seja só por hoje, quero ser bondade. Não apenas uma pontinha de bondade como costumo dizer, hoje quero ser uma bondade inteira.
Cara emburrada pesa demais na alma. Sejamos sinceros: um peso desnecessário. Acho que a gente se preocupa demais com coisas tão pequenas, que nos tornamos pequenos também, mesquinhos.
A vida não é mesmo fácil, sei que o mundo está um verdadeiro caos, mas tem gente que deixa a vida mais densa. Alguém tem uma explicação pra isso? Se tiver, seja convincente, por favor.  
Há momentos que nos sentimos tristes, deprimidos, com uma dor que até em respirar dói. Mas tristeza não é sentimento que se cria.  Porque a felicidade tem uma força incrível, mas a tristeza também tem. Vivemos em tempos que qualquer coisa nos irrita, e esquecemos os sentimentos bons.
Às vezes quando falo a respeito da felicidade sinto nas pessoas certa ironia ou descrença. Porque quando falo de felicidade, falo com entusiasmo, sabe? Eu adoço mesmo, eu invento felicidade, eu enfeito a felicidade!
Felicidade é ver luz nos olhos das pessoas, é sorrir com a alma.
É sentir-se leve como me sinto agora.

# Rô


Título: Guimarães Rosa.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Poeminha de cabeceira


Ela gosta de sonhar poesia.
Se cansada, faz da canção de Chico
SPA pra alma.
Se ela sofre, inventa alento.
Suas tristezas, assopra pro vento
Rumo ao catavento.
Ela acredita ser doutora em poesia
Acredita que tem a arte de fazer obras em versos.
Sempre que possível tenta despertar o sentimento do belo.
Se vira-la do avesso, poesia.
Com as pontas dos dedos toca estrelas.
Dentro dos olhos, um Sol.
Na alma, uma prece.
No peito, a fé de um mundo melhor 

# Rô

terça-feira, 9 de outubro de 2012

"Todos os seus sentimentos foram guardados profundamente..."


Sabe, pra mim era mais fácil acreditar que você era a pessoa com quem eu viveria junto e pra sempre, você era minha zona de conforto e só de pensar em estar fora dela, eu sentia aquele aperto em um canto dentro de mim que não se pode tocar, você foi a pessoa a quem dediquei cuidadosamente o meu tempo.  Fui a melhor pessoa pra você, fui completamente eu e você foi completo pra mim. Éramos nós de um jeito tão bonito, tão nosso. Nossos defeitos e qualidades, agridoce.
Queria que as coisas entre nós tivessem dado certo.
Cá entre nós: foi uma linda historia não foi?
E por ter sido tão bonita e verdadeira acreditei que era pra sempre. Quem não quer o bonito junto da gente uma vida inteira?
Mas quem disse que o bonito é sinal que o “pra sempre” é mesmo pra sempre?
O pra sempre existe dentro de nós, dessa vontade de ser feliz e isso é coisa que deve estar todo tempo iluminando a alma da gente.
Não é que a nossa historia não deu certo, não foi isso, durou o tempo certo para provarmos o sabor da nossa felicidade e também o sabor de nossa tristeza. Compreendi que durou o suficiente até mesmo pra sentirmos saudade do que não aconteceu. E isso é bom não é? Mesmo que seja estranho.
Aquilo que julgávamos certo pra nós dois, talvez não seja tão certo assim, a gente se engana às vezes.  Até porque, o amor da vida da gente precisa ser a gente primeiro se não for assim, o amor entre duas pessoas não flui. 
Mas em uma coisa eu acredito: em amor predileto, aquele que não se perde, que fica em um canto bonito dentro da gente e esse canto fica florido em todas as estações do ano. Sabiamente Caio Fernando disse que uma pessoa não precisa estar a vida inteira ao seu lado para se tornar única e inesquecível’.

E não é que é verdade?
    Título: do livro - Um Amor pra Recordar.


#Rô Barbosa.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"Românticos são loucos como eu..."


 
É fascinante receber aquele beijo de "dobrar a espinha, em pleno calçadão do centro da cidade". Como numa peça teatral, como algo mágico e majestoso. Adoro esse seu jeito, baby, de amar com classe e sem inibição.



#Rô Barbosa.

Título: Trecho da música Românticos - Vander Lee

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Dias Primaveris...



"Aprendi com a primavera; a deixar-me cortar e voltar sempre inteira".

[Cecília Meireles]


Abri a porta e deixei a primavera entrar [estava ansiosa por sua chegada, tenho o pressentimento que coisas boas acontecem na primavera]. As cores e o cheiro das flores envolveram tudo em mim, numa harmonia perfeita.
Deus manda a primavera pra acalmar o coração da gente, poucos percebem.
Nesses dias de primavera vou me afastar daquilo que me aborrece.
Fiz uma faxina e limpei cada cantinho daquilo que não me agrada, tirei a poeira da alma. Está tudo brilhante por aqui, há uma luminosidade incrível.
Nesses dias primaveris vou sentar numa poltrona confortável próximo à vidraça, e ler todos os livros que sempre quis. Vou me ocupar com o que é importante, banho de cachoeira.
Vou distribuir sorrisos, dos bons!
Vou sair por aí afora oferecendo flores, num gesto de prece.
Vou escrever cartas e depois extraviá-las.
Vou ver o mundo com o coração, sei que as pessoas têm bondade dentro de si. Sei que tem.
Não quero felicidade só pra hoje, entende? Quero acordar amanhã e saber que a felicidade estar em mim e qualquer pontinha de tristeza não vai durar muito tempo.
Estamos aqui pra sermos felizes, pra sermos primavera.
Sendo assim... Paz e amor para nós. Todos os dias, por favor.
Vou ser livre do que me prende, do que me deixa triste.
Chegou o tempo de ser feliz, eu sei.
E vou trazer pra perto de mim somente o que é bonito.
Minha alma está florida e coração tranquilo. Há uma primavera dentro de mim, de uma beleza que só vendo.
Alma e coração, novinhos em folhas, com flores de todos os tons.
Bons dias de primavera para nós.
Com flores, cores e amores!

 #Rô Barbosa.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

"Falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo..."


[...]

Esse moço que me faz ficar, que me faz partir
Que me faz rir, gargalhar. Chorar.
Moço que me confunde, assusta.
Que me puxa pro canto e leva o sorriso junto.
Se contradiz, não se explica.
Irrita-me!
Rouba-me a fé, a alegria.
Me faz perder o rumo.
Padeço, esqueço, enlouqueço.
Me impressiona, incomoda,
Me deixa absurdamente inquieta.
Esse moço me embaralha, sacode tudo em mim.
Ele vem. Vai
Efêmero.
Tira-me a calma.
Fura-me a alma
Fico por um fio. Fujo.
Coração silencia.
Peço: Pausa.
Porque é tudo assim: sem pé nem cabeça.
Sem nenhuma explicação aparente.  
Existe.
Persiste.
Não decide se...
 Vai, se fica.
#Rô Barbosa.

Título: Trecho da música "Sobra tanta falta" - O Teatro Mágico.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012


(...) é que tenho dificuldades em dizer certas coisas. Gestos sempre me pareceram mais nobres.



#Rô Barbosa.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012



Coloco uma pitadinha de fantasia à realidade da vida. Sim, a vida parece ácida demais às vezes, minhas fantasias são adocicadas. E fica tudo assim: agridoce.
E os momentos mais incríveis de minha existência acontecem somente em meus pensamentos. Há que ter magia.
É tudo tão extraordinária [mente] lindo!

#Rô Barbosa.

terça-feira, 21 de agosto de 2012


Prezo a poesia. 
Gosto de palavras bonitas, as mais tênues possíveis.
Poesia me permite fugir da aspereza da vida.
Tenho um “namoro” exagerado pelo que é encantador. Adiciono fantasias em tudo que faço. Sonho de olhos abertos.
Tenho em mim esse atraso de ser gente grande. Esqueci de me tornar adulta.
Fui despachada nesse planeta para gostar de cachoeira, flores, pisar descalça em folhas secas, ver o nascer e o pôr do Sol, contar estrelas no céu, ouvir o canto de passarinhos.
Fui despachada pra ser sorriso.
Nas mãos tenho Girassóis que me convidam a passear. Trago um Sol dentro de mim que aquece meus sonhos.
Tenho fartura ao enfeitar o mundo em afetuosas cores com tons amarelos de Van Gogh. Desses amar-elos que deixam a vida mais bonita.
E não esquecemos o cheiro das flores.
Tenho uma relação enigmática com a vida...
Entendo melhor a língua das águas do que as do homem.
Falo melhor com as flores.
Bordo prece com poesia.
Não perco tempo contemplando um arranha céus deixo essa tarefa aos adultos.
Meu mundo é maior que o mundo.
#Rô  Barbosa.
Imagem: Blog Teko Sementes

sábado, 18 de agosto de 2012



Andei pensando sobre o amor. A verdade é que vivo o amor. Respiro amor.
Esse sentimento que faz com que a vida tenha sentido, mesmo o amor fazendo latejar vez ou outra o coração da gente.
O amor agrega saudade, alegria, risada, emoção de uma carta recebida, decepção de um telefone não acontecido, noites de insônia, pensamentos que vão longe e tantas outras e mais outras coisas... 
Há amor que fica. Que decide não partir e acaba adormecendo dentro da gente. Só adormece.
Quando você abre aquela caixa de lembranças, o amor desperta e invade por inteiro. Amor que ‘resolve’ não partir tem dessas coisas.  Você sente vontade de pular pra dentro de retratos e quer dormir nas linhas e entrelinhas daqueles escritos em papel já amarelados pelo tempo.
Amor dói vez ou outra e faz a gente chorar.
Mas nada tira a beleza, a suavidade do amor.
Até dor de amor é bonita.




#Rô Barbosa.

quarta-feira, 18 de julho de 2012


Saudade do sabor agridoce que éramos, amor meu.
Quanta saudade sinto de nós...
 Memória graciosa essa minha, que me faz rir quando lembro: Dom Quixote e Dulcinéia.



#Rô Barbosa.

sábado, 14 de julho de 2012



O amor é sentir um “bocadinho” de saudade todo tempo... Todo os dias.

#Rô.

terça-feira, 26 de junho de 2012

"Mas acontece que eu ri para ti e aí..."


Difícil explicar as reticências.

[...]

Quando a gente se apaixona, nunca pensamos na saudade que iremos sentir quando o outro resolver partir.

A gente nunca pensa na dor que pode ficar dentro do peito. Quero dizer: pensar a gente até pensa e senti uma pontinha de medo, mas o anseio de viver o tal amor é maior que qualquer outra coisa.

Então você vive. É feliz. Se surpreende, é surpreendida, se entrega, rir, mensagem de madrugada, música, poesia, cafuné, cheiros, livros, colo, abraço apertado, doce conversas, cartas... Segredos.

E não tem disso de oferecer sem querer nada em troca, porque quando se ama  quer toda atenção, todos os mimos e carinhos, se quer a pessoa inteira. Se quer a presença. Você é por inteiro.

E depois os dois remam em direção opostas...

Eles já não se falam mais, não se escrevem, não se ouvem...

E fica aquela ausência...
#[Rô]
Título- Trecho da música Se eu Soubesse - Chico Buaque.